sexta-feira, junho 9

321. Mustafá Kemal Atatürk

Tenho profunda admiração por Mustafá Kemal Atatürk, fundador da atual República da Turquia, por poder ser a prova cabal de que um povo majoritariamente islâmico pode formar um país laico como qualquer outro povo. O kemalismo pode ser definido em uma única citação do próprio Atatürk:


«As regras e teorias de um velho sheik árabe chamado Maomé e as abstrusas interpretações de gerações de sujos e ignorantes padrecos fixaram a lei civil e penal da Turquia. Eles determinaram a forma da constituição, as mais pequenas ações e gestos do cidadão, a sua alimentação, as horas para levantar e dormir, tradições e hábitos e mesmo os mais íntimos pensamentos. O Islã, essa absurda teologia de um beduíno amoral, é um cadáver podre que envenena a nossa vida. A população da república turca, que reclama o direito a ser civilizada, tem de demonstrar a sua civilização através das suas ideias, sua mentalidade, através da sua vida familiar e seu modo de vida».

Evidente que o vocabulário é um pouco venenoso, mas o importante é a demostração da necessidade de desvinculação do Estado e da religião.

E faço público o meu agradecimento ao Pai dos Turcos, pelo bem que ele fez à Turquia e teria feito ao mundo todo, se seus exemplos fossem observados (principalmente no mundo Islâmico). Quero ter oportunidade, na viagem que pretendo, tão-logo quanto possível, fazer à Itália, dar uma esticada até Istambul, e depositar uma coroa de flores no Anitkabir.

N. B.: quanto ao fato de que o Atatürk bebia, grande coisa. Winston Churchill também era um beberrão emérito e ai da Europa se não fosse ele!

P. S.: quanto à Copa do Mundo, pouco me importa.

4 Comentários:

Blogger danieli disse...

diz que o pessoal lá na turquia tem quase um culto por ele. falar mal do cara (ou sequer levantar a possibilidade de) é quase que informalmente proibido, no mínimo vão te olhar feio pro resto da vida.
sei lá. eu sempre desconfio de unanimidades assim.

sexta-feira, junho 09, 2006 8:00:00 da tarde  
Anonymous Sissi disse...

de repente me perguntei "o que é a Turquia?".

segunda-feira, junho 12, 2006 5:47:00 da tarde  
Blogger Sergi-Domenech Ferrer i Vernau disse...

Dani,
Se não fosse Mustafa Kemal Paşa, a Turquia pouco diferiria do Irã ou da Arábia Saudita... inclusive, acho que um movimento kemalista internacional cairia muito bem...

Sissi,
Nem só de Brasil se faz o mundo (e cá entre nós, ainda bem!).

quarta-feira, junho 14, 2006 9:02:00 da manhã  
Blogger Cicero disse...

Taí, gostei do moço! Apoiado! E tenho dito!

domingo, junho 18, 2006 2:40:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home