quinta-feira, maio 18

310. Dias de guerra

Jonne Roriz/Agência Estado/AE
«Está tudo bem, tudo sob controle», disse o Governador. «Dia normal», diz o Comandante da Polícia Militar. Agora, quem está na rua, tentando voltar a casa, usando o transporte público sabe muito bem que na prática, estamos nós, paulistanos como se numa cidade em guerra. As distâncias invalicáveis nos dividem, chega-se a uma estação e dá-se de cara com a incontornável realidade: sem lotação, sem ônibus; quem pode pegar um táxi, como eu pude – a duras penas, por certo – muito que bem, se não, tem de fazer quilômetros a pé, à noite em lugares já quotidianamente delicados. São Paulo transformou-se no Império dos Boatos: um único espalha o pânico e a afobação entre a população civil, pelas calçadas, respira-se às estocadas e um sai de casa pela manhã e não sabe se volta. Nunca a vida, a havíamos sentida tão precária: somos habitantes da maior cidade do país, a mais rica, centro financeiro e cultural do país. É hora do Governo do Estado descer do pedestal e tomar providências cabíveis e não mais jogar sobre nós toalhas quentes, paliativos.
Terça-feira pela manhã, eu ainda na casa duma amiga solidária – visto que não consegui atravessar a cidade e chegar à minha casa – pondo a louça dum café improvisado na pia, quando a Igreja de Santa Cecília começou um descompassado e tremendo repique de sinos que ecoou na minha cabeça como o anúncio do Juízo Final. Badaladas aos mortos.

Igreja de Santa Cecília (interno)

Uma cidade que esconde belíssimos tesouros como este, tem de ser defendida. Mais belezas escondidas aqui, de onde foi extraída a foto acima.

Una buona notizia? Sì, ce l'ha:



3 Comentários:

Anonymous camila disse...

Sérgio, Sérgio... Vc tem toda a razão do mundo. O que significa essa cidade??? Esse estado??? Esse país??? Vc precisava ver o pânico gerado ontem na USP depois de meia noite... Apagão, polícia, gritaria...

Não sei mais o que pensar desse mundo...

Um beijo, querido.

quinta-feira, maio 18, 2006 3:27:00 da tarde  
Blogger Cicero disse...

Is it the end of the world as we know it?

sexta-feira, maio 19, 2006 10:46:00 da manhã  
Blogger Sergi-Domenech Ferrer i Vernau disse...

Camila,

Bem, sempre achei que União rima com abstração e a nossa autonomia de estado cheira a teatro. Nossa cidade? Bem, complicado... amável, mas um caos. Imagino o caos sim... beijo.

Cícero,
Tomara.

sexta-feira, maio 19, 2006 1:22:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home