domingo, outubro 30

209. Finiseptimanais

Retórica incortonável

O senhor João foi à agência Banco Ceausescu, na sede do município, para fechar sua conta bancária inativa.
— Tarde. – cumprimentou sôr Jão.
— Bas-tarde! – devolveu o atendente. Tudo bão co’ vosmecê, nhô Jão?
— Tudo; antonces, eu vim fechá a minha conta bancária.
— Mas, sôr Jão, por que?
— Ói, rapaz, é mió ’cê num discuti, eh?
— Mas, nhô Jão, o banco tem atendido vosmecê tão bem esses ano todo, mas cas-de-quê vosmecê qué fechá a conta?
— Ocê num arrepare não, Filozinho, ocê sabe qu’eu te conheço desde quand’ocê era desse tamanhico; antonces ocê num discute e fecha a conta pra mim, faz favor.
— Sôr Jão! Vosmecê qué um café…? Só num arrepare que é copo de plástico, as xícara tão tudo prá lavá… antonces, eu poss’ lhe dá um bão dum desconto na taxa de manutenção da conta, o que que vosmecê acha, hem? - completou Filozinho todo bonacheirão.
— Filozinho, já te disse que não; eu preciso de fechá a conta e eu tenho uns argumento irrefutável…
— Mas é, nhô Jão? E quis argumento são esses?
Seu João tirou da sua bolsa de couro um pedaço de pau duns 50 centímetros, largo, com um escrito em tinta preta: «retórica». Girou-o no ar, qual fosse uma clava.
— É, nhô Jão, aqui ’tá o termo d’encrerramento…

Veritats indiscutibles: Eu pensava que era a Áustria-Hungria, mas vi que não passava de uma Sérvia. Dum desiludido que cambava nas proximidades da Basílica de São Bento.

Pelo novo estatuto de autonomia da Catalunha:

No és això, companys, no és això,
ni paraules de pau amb garrots,
ni el comerç que es fa amb els nostres drets,
[...]

Não é assim, camaradas, não é assim,
nem palavras de paz com garrotes,
nem o comércio que se faz com os nossos direitos,
[...]

(Companys, no és això, Lluís Llach)

1 Comentários:

Anonymous jeff disse...

a sérvia, meu deus, vc é a sérvia...

domingo, outubro 30, 2005 11:28:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home